A noite convidava a sair e muitos foram aqueles que se juntaram à festa da Fundação Árpád Szenes-Vieira da Silva (FASVS) para festejar os 25 de abertura do Museu com o aniversário do nascimento de Maria Helena Vieira da Silva, que coincide com o dia de Santo António.

O ponto alto da festa decorreu ao ar livre com o VÍDEO MAPPING com duas projeções de aproximadamente 10 minutos cada na fachada do Museu. Envolvido no Jardim das Amoreiras, este espetáculo, concebido de raiz, permitiu que as obras de Vieira da Silva fossem alvo de animações, efeitos e desconstruções pela Oskar & Gaspar, ao som da banda sonora de Rodrigo Leão. Uma forma de conciliar as obras no sentido mais clássico com a era do digital, permitindo aos espetadores uma aproximação à arte através de uma experiência única de cor, texturas e som.

“É a primeira vez que se faz em Portugal um trabalho deste sobre uma artista portuguesa e só podia ser a Vieira da Silva. Toda a sua obra é sobre o espaço, as perspetivas, os labirintos e é uma das artistas mais conceituadas do mundo. Por isso o resultado de tudo isto só podia ser mágico”. Quem o afirma é Marina Ruivo, Diretora da FASVS, que para esta projeção multimédia se associou à EGEAC – Festas de Lisboa, à Freguesia de Santo António e ao Centro Colombo, contando com o apoio da Fundação Millennium e do Banco Oficial Donativos Millennium BCP.

O programa da iniciativa Vieira da Silva em Festa, que teve início logo na manhã de 13 de junho, incluiu uma Feira do Livro de Arte, no Jardim das Amoreiras, visitas guiadas às exposições patentes e atividades para as famílias no Museu. Destaque para a exibição do filme Correspondências de Rita Azevedo Gomes e um concerto dos Jovens Solistas da Orquestra Metropolitana de Lisboa. Uma forma de “promover o conhecimento da vida e obra da artista, atraindo novos públicos, e revitalizar o Jardim das Amoreiras, como espaço de lazer e como polo cultural e artístico, em parceria com outras instituições”.

No ano em que a abertura do Museu ao público comemora 25 anos, a FASVS e o Centro Colombo dão as mãos para celebrar uma das mais notáveis artistas portuguesas. A 9.ª edição de A Arte Chegou ao Colombo é dedicada a Vieira da Silva com uma exposição que pretende ser uma experiência imersiva de arte digital e multimédia, que usa a perspetiva, a cor e a forma para celebrar 35 obras da artista acrescentando-lhes vida digitalmente e desconstruindo-as de forma inédita. Patente de 26 de junho a 26 de agosto na Praça Central. A entrada é gratuita.