O ano de 2021 não foi o ano que esperávamos que fosse.

Contávamos com o final da pandemia para recuperarmos as nossas vidas e a normalidade que estávamos habituados. Não foi possível... Mas mesmo isso mantivemos a esperança, o otimismo e a coragem de seguir em frente.

O ano arrancou com a realização da Eleição Presidencial, para a qual alocamos 60 funcionários da freguesia. Garantindo a higienização permanente dos espaços e encaminhamento dos cidadãos aos locais de voto.

Levámos o amor, a música e a boa disposição à casa dos nossos fregueses com o Baile de São Valentim realizado via streaming.

Homenageamos, no Dia Internacional da Mulher, o trabalho das mulheres da nossa freguesia. Agradecendo a sua dedicação, paixão e a sua resiliência nas mais diversas áreas em que atuam.

Constituímos uma equipa para ajudar no preenchimento dos censos porque na nossa freguesia contamos todos, mas acima de tudo, CONTAMOS COM TODOS.

Dada a pandemia operámos da forma mais segura possível e não deixámos de dar resposta a novos problemas que nos surgiam. Como foi o caso do agravamento dos problemas psicológicos, levando ao alargamento do Projeto Farol à Saúde Mental.

A Biblioteca Arquitecto Cosmelli Sant’Anna não deixou de levar histórias aos mais novos e aos mais velhos, nem experiências aos mais jovens. Tendo no início do ano recorrido a sessões online, mas no final do ano já contou com a retoma de algumas atividades presenciais.

Continuámos a apoiar o comércio local, dando voz a Lojas com História e a espaços inovadores em Santo António que continuam de Portas Abertas.

A cada Notícias Bússola estamos a deixar que os nossos jovens do Projeto Bússola conheçam melhor Santo António como descobrimos a cada noticiário talentos muitas vezes escondidos.

E apesar de todas as vicissitudes, fizemos de 2021 um ano em bom. Unimos esforços para estarmos presentes em todas as situações, mesmo naquelas que não estão ligadas diretamente à nossa freguesia.

Alterámos a toponímia das nossas 130 ruas para celebrar o Dia Mundial do Teatro, e homenagear os artistas portugueses.

Voltámos à Praça da Alegria para celebrar com os nossos fregueses o tradicional Magusto. Já todos tínhamos saudades do crepitar das castanhas.

E sendo esta a freguesia de Lisboa com o maior número de teatros, apresentámos a candidatura do Teatro de Revista a Património Imaterial da Humanidade.

Foram 365 dias a caminhar não à frente, nem atrás, mas sim, lado a lado dos NOSSOS. E no final de tudo as nossas equipas continuam a ser a chave do sucesso de cada operação, mostrando uma vontade e um empenho renovado a cada novo desafio.

Que 2022 seja agora preenchido com novos sonhos, novos projetos, espírito positivo, alegria e esperança.